Sobre Nutrição

Busca


Área restrita do paciente:  

 
E-mail: Senha:  Esqueci minha senha!
 

Beleza e bem estar

TPM

A TPM ou também chamada de desordem disfórica pré-menstrual atinge aproximadamente 75% das mulheres. No entanto apenas 8% têm sintomas muito intensos. É um conjunto de sintomas físicos e comportamentais que ocorrem na segunda metade do ciclo menstrual podendo ser tão intensos que interferem significativamente na vida da mulher.
A alimentação adequada na época de TPM pode amenizar significativamente os sintomas, melhorando a qualidade de vida da mulher.
Alguns nutrientes em especial são importantes na redução de certo sintomas, como:
 

 

 

Fontes Alimentares

Por quê?

Recomendação

Bioflavonóides

Frutas vermelhas, romã, berinjela.

Diminui a retenção hídrica e melhoram a circulação.

Aumentar o consumo.

Cálcio

Leites e derivados, amêndoas, gergelim, vegetais verdes escuros, sardinha com as espinhas.

Age com sinergia ao magnésio, diminuindo as cólicas. Causa redução das alterações do humor, da retenção de água, dos desejos alimentares e das dores.

Aumentar o consumo.

Isoflavonas

Soja e derivados.

Tem efeito similar ao estrogênio.

Diária.

Lignanas

Sementes de linhaça.

Modula o estrogênio e melhora o trânsito intestinal.

1 a 2 colheres (sopa) por dia.

Líquidos

Água e chás.

Ajudam a diminuir a retenção de líquidos.

Aumentar o consumo.

Magnésio

Oleaginosas, vegetais verdes escuros, banana, maçã, frutos do mar, grãos integrais.

Promove redução do ganho de peso, de edemas, da retenção de líquido e diminui dor nas mamas.

Diária.

Ômega 3

Peixe de água fria (salmão, sardinha e atum).

Potente antiinflamatório, melhora a circulação sangüínea e reduz a irritabilidade.

2 a 3 vezes na semana.

Potássio

Banana, laranja, alcachofra, salsa, agrião

Eliminam mais água e reduzem o inchaço.

Aumentar o consumo.

Triptofano

Aveia, alcachofra, chicória, banana, leite.

A aveia é rica em triptofano, diminui a vontade de comer doces.

Diária.

Selênio

Sementes oleaginosas.

Melhora humor, depressão, ansiedade, irritabilidade.

Aumentar o consumo.

Vitamina B6

Gérmen de trigo, fígado, melão, arroz integral, ovos e aveia.

Aumentam o nível de serotonina, diminuindo o apetite compulsivo por alimentos calóricos.

Diária.

Vitamina E

Óleos vegetais, gérmen de trigo, oleaginosas (castanhas em geral), vegetais verdes escuros.

Regulam o nível de prostaglandina, evita cefaléia, dores nas mamas e cólicas.

Diária.

Zinco

Carnes magras e frutos do mar.

Aumenta função do estrógeno.

Consumir freqüentemente.


Algumas dicas também devem ser levadas em consideração para evitar que a TPM atrapalhe as atividades diárias:

  • Diminua o consumo de açúcar, álcool e alimentos gordurosos. Isto porque é o fígado quem equilibra as quantidades de estrogênio no sangue, e quando ele está sobrecarregado, o hormônio retorna à corrente sanguínea e causa desconforto;
  • Aumente o fracionamento das refeições no decorrer do dia. Ou seja, realize as principais refeições: desjejum, almoço e jantar, mas também faça lanches intermediários durante o dia;
  • Reduza o consumo de sal e beba maior quantidade de líquidos, para diminuir a retenção de líquidos;
  • Mantenha-se hidratada. A água é fundamental para o bom funcionamento de inúmeras funções do nosso organismo. Beber de 8 a 10 copos de água diariamente é importante para que estas funções ocorram normalmente e evita a irritabilidade.

 
 

Bronzeamento

 
 

Além da cenoura, muitos alimentos são importantes para melhorar o bronzeado. Alguns estudos trazem que o consumo adequado de vitaminas do complexo B, incluindo o ácido fólico, é importante, uma vez que fixa por mais tempo o bronzeado na pele. Saiba mais sobre os nutrientes envolvidos na saúde da pele.

Mais
 

Longevidade e saúde

 
 

O envelhecimento, apesar de ser um processo natural, submete nosso organismo a alterações anatômicas e funcionais, afetando diretamente nossa saúde. Saiba como ter uma alimentação correta para uma melhor qualidade de vida.

Mais
 

TPM

 
 

A TPM ou também chamada de desordem disfórica pré-menstrual atinge aproximadamente 75% das mulheres. No entanto apenas 8% têm sintomas muito intensos.

Mais