Sobre Nutrição

Busca


Área restrita do paciente:  

 
E-mail: Senha:  Esqueci minha senha!
 

Fases da vida

Obesidade infantil

A prevalência da obesidade infantil vem aumentando nos últimos anos e representa um dos principais desafios de saúde pública neste início de século.
O desequilíbrio energético que leva a criança a tornar-se obesa tem fatores genéticos que podem afetar a taxa de metabolismo basal ou a superalimentação. No entanto, acredita-se que as mudanças de comportamento alimentar caracterizada por oferta ilimitada de alimentos baratos, palatáveis, práticos e de alta concentração energética e os hábitos de vida sedentários atuando sobre genes de susceptibilidade sejam o determinante principal do crescimento da obesidade no mundo.
Aceita-se atualmente que os genes desempenham um papel permissivo no desenvolvimento da obesidade e que os fatores ambientais interagem para levar à obesidade.
Assim como a obesidade, a escalada de sedentarismo observada nas últimas décadas
caracteriza-se também como epidemia global. Diversos itens de conforto parecem também contribuir de forma significativa para a diminuição do gasto energético, como carros, controles remotos, televisão, computador e vídeo games, que se tornam cada vez mais presentes no estilo de vida moderno.
Alguns estudos com crianças relataram uma média de 28 horas de televisão por semana demonstrando uma relação direta com o risco de obesidade.
Se seu filho está obeso ou com sobrepeso, você deve começar a se preocupar em fazê-lo perder peso, pois adolescentes obesos têm 70% de chance de se tornarem adultos obesos. Para combater o excesso de peso, é importante encorajar seu filho a:

  • Fazer uma atividade física moderada por 60 minutos no mínimo 3 vezes por semana ou brincar mais com atividades que exijam um maior gasto calórico como pular corda, andar de bicicleta, jogar bola, etc.
  • Diminuir o tempo ocioso que inclui o tempo gasto com computador, televisão e vídeo games.
  • Não consumir bebidas que contenham muito açúcar adicionado, como refrigerantes ou sucos prontos de caixinha. Incentive o consumo de água, água de coco e sucos naturais.
  • Comer alimentos saudáveis, incluindo frutas e vegetais. Ensine-o a fazer escolhas saudáveis quando ele estiver comendo em casa e ao mesmo tempo, não tenha uma dispensa cheia de guloseimas.
  • Comer lanches saudáveis e não um lanche com valor calórico de uma refeição principal.
  • Ter boas noites de sono. Adolescentes precisam de 9 horas de sono, crianças entre 6 e 12 anos uma média de 10 a 11 horas de sono e crianças pré-escolares ainda mais que isso.

O mais importante é encorajá-lo a se alimentar de forma adequada para ter um peso saudável, ao invés de forçar uma dieta restritiva. Seja um exemplo para seu filho.

Clique aqui para saber mais.

 
 

Alimentação da mulher

 
 

Conheça os nutrientes importantes para a saúde da mulher e as particularidades nas diferentes faixas etárias dos 20 aos 50 anos.

Mais
 

Alimentação no transtorno de déficit de atenção

 
 

A nutrição pode auxiliar na prevenção e no controle ao déficit de atenção. Várias pesquisas já detectaram que crianças com déficit de atenção apresentam carências nutricionais e intolerâncias a determinados alimentos e até aos aditivos alimentares dos produtos industrializados.

Mais
 

Nutrição anti-aging

 
 

Como prevenir o envelhecimento através dos alimentos.

Mais