Sobre Nutrição

Busca


Área restrita do paciente:  

 
E-mail: Senha:  Esqueci minha senha!
 

Nutrição e Saúde

Fertilidade

Designamos fertilidade como a capacidade de reprodução humana, nas mulheres está associada ao fato de engravidar (liberação óvulos que possam ser fecundados) e nos homens associamos a fertilidade, a capacidade de produzir espermatozóides que fecundem os óvulos.

Infertilidade

A infertilidade afeta 1 a cada 10 casais em idade fértil e podem ter muitas causas, algumas de origem nutricionais.

  • Feminina
    A infertilidade feminina pode ser causada por alterações da ovulação, ausência de menstruação ou ciclo irregular, endometriose, doenças sexualmente transmissíveis e até mesmo por falta de nutrientes como vitaminas e minerais.
  • Masculina
    Já no homem problemas glandulares de hipófise, tireóide ou supra-renal, traumas ou problemas congênitos dos testículos; problemas provocados pelo uso de medicamentos, varicocele, distúrbios do sistema imunológico, cirurgia de vasectomia e carência de vitaminas e minerais, podem comprometer a qualidade, quantidade e a motilidade dos espermatozóides.

Desnutrição x Excesso de Peso x Fertilidade

Tanto o baixo peso e o sobrepeso quanto à obesidade são fatores importantes que comprometem a fertilidade (masculina e feminina), alterando a ovulação ou diminuindo o número de espermatozóides.

Nutrição x Fertilidade

A nutrição tem um importante papel na fertilidade, pois a deficiência de vitaminas e minerais pode ser vista como um fator de risco para infertilidade, assim como o consumo excessivo de carboidratos simples (açúcares), gordura saturada, sódio e toxinas.

Dicas Nutricionais

  • Procure consumir alimentos ricos em vitamina B6 (carnes de aves, peixes, fígado, ovos, grãos de soja, aveia, produtos com trigo integral e nozes), pois estudos comprovam a eficiência dessa vitamina no controle hormonal e na diminuição dos sintomas da TPM;
  • Alimentos integrais e nozes possuem vitamina E, que aumenta a motilidade dos espermatozóides e auxilia o desenvolvimento de uma placenta mais saudável (diminui riscos de aborto);
  • O zinco (presente nas carnes, cereais integrais, fígado, frutos do mar, amêndoas), é um dos minerais mais importantes para a função reprodutiva, pois atua de forma direta sobre os hormônios sexuais, estimulando a fertilidade. O zinco é necessário para a produção de esperma e manutenção da potência masculina, tendo fama de aumentar a libido. Sabe-se ao certo que a carência de zinco provoca infertilidade e impotência;
  • O gengibre que pode ser utilizado em diversas preparações, como em sucos, chás, sopas, aperitivos e temperos, é conhecido por ser um alimento afrodisíaco, pois melhora a circulação para os órgãos genitais masculinos, auxiliando na ereção; e além disso aumenta a concentração do hormônio masculino (testosterona);
  • Procure aumentar o consumo de vitamina C (acerola, laranja, limão, goiaba, kiwi, brócolis, rúcula e pimentão), pois esta vitamina atua na função ovariana e no desenvolvimento dos óvulos e nos homens regula a produção de espermatozóides;
  • Os bioflavonoides fortalecem o útero para implantação do embrião, está presente em vegetais como brócolis, repolho e pimentão verde. Também se encontra nas uvas, laranja, tomate e vinho tinto;
  • Para evitar a deficiência de vitamina A, consuma alimentos com beta caroteno (cenoura, mamão, abóbora, brócolis, aspargos, espinafre) este nutriente é essencial para a produção normal de espermatozóides;
  • Com relação ao selênio (grãos integrais e ovos) assim como o zinco é importante para produção de um esperma saudável;
  • Estudos comprovam que há uma relação direta entre sensibilidade ao glúten e desordens reprodutivas na mulher, para isso é importante que essa intolerância seja diagnosticada e controlada;
  • Consuma alimentos fonte de arginina (carnes, aves, peixes, cereais integrais, castanhas), precursora do óxido nítrico, um dos componentes fundamentais na ocorrência da ereção. Ele promove a vasodilatação, importante para o bom funcionamento do aparelho reprodutor masculino, permitindo um maior fluxo sanguíneo;
  • Para os homens é interessante verificar o uso de anabolizantes, pois estes prejudicam o funcionamento dos testículos, resultando em uma produção de espermatozóides com baixa capacidade de fecundação;
  • Evite o consumo de alimentos com agrotóxicos, prefira os orgânicos, pois estudos mostram que a exposição aos agrotóxicos ao longo do tempo pode levar a distúrbios do sistema reprodutivo (como infertilidade, câncer de testículo, ma formações congênitas);
  • Também evite outros poluentes ambientais como o bisfenol A. Essa substância contida em embalagens plásticas pode passar para alimentos principalmente em altas temperaturas. Por isso evite consumir alimentos quentes ou aquecê-los em recipientes plásticos. O bisfenol A está relacionado com a diminuição da contagem de espermatozóides e piora da qualidade do esperma e em mulheres com a piora da fertilidade e irregularidades do ciclo menstrual.
  • Evite o consumo de álcool, pois além de afetar a qualidade do esperma, pode prejudicar a absorção de minerais essenciais ao organismo como o zinco, o selênio e o magnésio, antioxidantes, importantes na manutenção das células germinativas;
  • Para garantir uma boa função reprodutora, diminua o consumo de carboidratos refinados (açúcares), pois estes alimentos são pobres em vitaminas e minerais.

 
Fertilidade
 
 

Alimentação e saúde da tireóide

 
 

A tireoide é uma importante glândula do nosso organismo e produz hormônios que tem como uma das suas principais funções regular o metabolismo. Alguns alimentos podem prejudicar sua função, assim como existem nutrientes que são essenciais para o seu bom funcionamento.

Mais
 

Erros comuns que as pessoas cometem quando querem perder peso

 
 

Hoje em dia há muita informação na mídia com dicas para emagrecimento. Mas será que podemos confiar nelas? Conheça alguns dos erros muito comuns que observamos na dieta de pessoas que querem perder peso.

Mais
 

Saúde do intestino e a prevenção de doenças

 
 

Saiba como o mau funcionamento intestinal está relacionado com a obesidade.

Mais