Sobre Nutrição

Busca


Área restrita do paciente:  

 
E-mail: Senha:  Esqueci minha senha!
 

Nutrição e Saúde

Alergia Alimentar

Nas ultimas décadas a prevalência de doenças alérgicas aumentou drasticamente. As alergias alimentares fazem parte dessa estatística e tornam-se um problema de saúde publica no mundo todo, os riscos aumentam á medida que os alimentos consumidos são cada vez mais processados e complexos, com rótulos inadequados.

A alergia ou hipersensibilidade alimentar é uma resposta adversa a alimentos que apresentam substâncias que ativam o mecanismo imunológico do nosso corpo. Muitas vezes esse termo pode ser confundido com intolerância alimentar, porém esta não apresenta reação imunológica e sim uma reação fisiológica anormal do corpo. As reações mais comuns para as alergias alimentares causam sintomas gastrointestinais, respiratórios ou manifestações cutâneas.

A hipersensibilidade alimentar é muito mais freqüente nos primeiros anos de vida (imaturidade do sistema gastrointestinal e imunológico), 6% das crianças com até 3 anos de idade já apresentaram alguma reação alérgica, sendo a proteína do leite de vaca a que apresenta maior incidência.

Na maioria das vezes, a alergia a certos alimentos como ovo, leite de vaca e soja, desaparece nos primeiros 3 anos de vida, porém caso ocorra qualquer tipo de reação, o alimento deve ser evitado novamente. Já a hipersensibilidade de alguns alimentos como o amendoim, camarão e outros, raramente desaparecem.

Tratamento
A alergia alimentar pode ser tratada com o uso de remédios antialérgicos, nas fases de crise sendo necessária também uma dieta de exclusão, onde se deve evitar o contato com o alimento desencadeador por, pelo menos seis meses, porém a exclusão de um alimento deve ser observada e avaliada para que não haja deficiência de nenhum nutriente.

Dicas nutricionais:

  • Primeiramente é indispensável ficar atento aos sintomas principalmente de crianças depois de se alimentarem, as alergias ocorrem logo após a ingestão do alimento que contem o alergênico;
  • Caso você sinta desconforto gástrico e não sabe realmente o que pode estar gerando este mal estar, preste atenção ao consumo desses alimentos: leite, amendoim e os ovos são os que mais causam reações adversas quando consumidos, a incidência de registro destes alimentos é de 75%. Outros alimentos que podem entrar para esse ranking são: moluscos como ostras, mexilhões, lula e polvo, peixes, camarão, algumas frutas secas e grãos como centeio, trigo e aveia;
  • A amamentação é vista como um fator principal para a prevenção de alergias alimentares futuras, uma vez que o leite materno transmite imunidade para o bebê;
  • Em casos de alergia a proteína do leite, os bebês precisam receber fórmulas de leite hidrolisadas ou parcialmente hidrolisadas. Estudos ainda são controversos quanto às formulas a base de soja, já que a soja é um alimento com alto índice de gerar alergia;
  • Durante a gestação estudos não comprovaram que a exclusão de alimentos pela mãe poderia diminuir o filho de ter alergia, logo não é recomendado que se faça uma restrição de alimentos potencialmente alérgicos (leite, ovos, glúten) no período da gravidez;
  • É importante que pessoas que tenham o diagnóstico de alergia procurem um nutricionista para prescrição de uma dieta equilibrada que compense a falta de nutrientes que deveriam vir da fonte que está sendo restringida;
  • É importante também que tenhamos o conhecimento para ler os rótulos dos produtos, muitas vezes não sabemos que o ingrediente que está designado no produto faz parte do alimento ao qual temos alergia:

Alergia

Compostos que podem ser encontrados nos rótulos

Alimentos

Leite de vaca

Caseína, caseinato, lactoalbumina, lactoglobulina, lactulose, lactose, proteínas do soro, proteínas de leite e soro de leite.

Leite, iogurte, whey protein, creme de leite, queijos, requeijão, manteiga.

Glúten

Cevada, trigo, aveia, centeio, sémola, farelo de trigo, gérmen, malte.

Biscoitos, bolos industrializados, macarrão, cerveja, whisk, vodka.

Ovo

Ovoalbumina, lisozima, albumina, ovomucoide.

Pó para bolos, tortas, pães, sorvete, pão-de-ló, suflês, mousses e empanados.

Soja

Lecitina de soja, conglicinina, dicilina.

Leite de soja, sucos de soja, tofu, molho shoyo, barrinhas de cereais.

  • É indispensável que se consulte um médico e que haja um acompanhamento do quadro clínico (sinais e sintomas) da alergia.

 
 

Alimentação e saúde da tireóide

 
 

A tireoide é uma importante glândula do nosso organismo e produz hormônios que tem como uma das suas principais funções regular o metabolismo. Alguns alimentos podem prejudicar sua função, assim como existem nutrientes que são essenciais para o seu bom funcionamento.

Mais
 

Erros comuns que as pessoas cometem quando querem perder peso

 
 

Hoje em dia há muita informação na mídia com dicas para emagrecimento. Mas será que podemos confiar nelas? Conheça alguns dos erros muito comuns que observamos na dieta de pessoas que querem perder peso.

Mais
 

Saúde do intestino e a prevenção de doenças

 
 

Saiba como o mau funcionamento intestinal está relacionado com a obesidade.

Mais